Cuidados de Saúde 28 de março de 2020

Novo Coronavirus 2019

O que preciso de saber sobre o novo coronavirus de 2019?

Neste curso vais aprender sobre o vírus e a nova doença que os cientistas chamam COVID-19.
O que é? De onde veio?
O que pode significar para ti?

41 Cartões

Vais aprender com a Susana, que vive numa grande cidade. Ela está nervosa por causa do novo coronavírus. Quer saber o que pode acontecer e quais as possibilidades de a sua família ficar doente ou morrer.

O coronavírus é um vírus que pode transmitir-se entre as pessoas. Os cientistas acreditam que se transmite através de pequenas gotas infectadas que se espalham quando cuspimos ou espirramos, da mesma forma que acontece com a gripe.

Para a Susana o risco de ser infectada é baixo porque não há casos de coronavirus na sua cidade e porque não viajou.

O seu companheiro, Manuel, tem um risco ligeiramente maior.
É enfermeiro e viaja diariamente de e para o trabalho. Ontem tratou de um paciente que tossia e tinha febre.

Na clínica do Manuel tomam-se muitas precauções. Quando alguém chega com tosse recebe uma máscara para usar e senta-se numa área de espera longe dos outros pacientes.

Quando Bill volta para casa da clínica, ele tira os sapatos e as roupas de fora da garagem, depois toma banho. Ele faz isso para limitar as partículas virais que entram na casa.

A filha da Susana, a Maria, tem também um risco maior de infecção. Visitou uma amiga numa cidade em que há pessoas diagnosticadas com coronavírus. A amiga está agora doente.

A cidade da Susana ainda não teve casos confirmados de COVID-19 mas o vírus pode espalhar-se porque há gente a viajar. Por isso a família toma precauções.

A Susana e o Manuel compram produtos de limpeza e sabão para proteger a casa e as mãos do coronavírus. Tratam da medicação da mãe da Susana para que ela possa ficar em casa, em segurança.

A Susana prepara-se para mudanças na rotina diária da família. No emprego, faz perguntas sobre a possibilidade de trabalhar a partir de casa. Faz planos para o caso de os filhos não poderem ir à escola.

O Manuel mostra aos filhos como lavar correctamente as mãos.
Lavem sempre as mãos depois de usar a casa de banho, depois de terem estado em áreas públicas, depois de tossir ou espirrar e antes das refeições ou de tocar na cara.

Não há sabão e água por perto?

Usa desinfectante com pelo menos 60% de álcool. Os desinfectantes de mãos anti-bacterianos são menos eficientes se não tiverem uma alta proporção de álcool.

Recapitulando
  • O risco de infecção com o novo coronavírus depende da proximidade que tiveste com alguém que contraiu a doença.
  • Mantém o risco baixo evitando áreas em que o vírus já provocou doença.
  • Cria o hábito de lavar as mãos com frequência.
  • Evita tocar o rosto.

Os médicos descobriram o
'novo coronavírus
em dezembro de 2019 quando, em Wuhan, na China, um grupo de pessoas adoeceu com uma doença do tipo da gripe. Chama-se 'novo' porque os cientistas não o tinham encontrado antes.

Encontram-se novos vírus com muita frequência. Um vírus é um tipo de parasita microscópico que necessita de seres vivos para sobreviver. Os vírus copiam-se dentro das células de organismos vivos.

Os coronavírus são vírus com 'coroas' de proteína no exterior. Há muitos coronavírus. Alguns são encontrados em animais como morcegos ou aves.

Quando humanos e animais cruzam caminhos um vírus animal pode, às vezes, infectar um ser humano. Ocasionalmente, um ser humano pode transmitir o vírus a outros seres humanos. Foi assim que apareceu o COVID-19.

Há diferentes tipos de coronavírus, assim como há diferentes tipos de gripes. Alguns causam doença ligeira e outros, como o coronavírus SARS, podem ser mais severos.

O novo coronavírus 2019 é semelhante ao coronavírus SARS e, por isso, os cientistas chamaram-lhe coronavírus SARS 2, ou “SARS-CoV-2”.

Recapitulando
  • O novo coronavírus é um vírus. Precisa de um ser vivo para se replicar.
  • Tem semelhanças com outros coronavírus, como o SARS. Tipicamente propaga-se com mais rapidez mas causa doença menos severa.
  • É possível que tenha originalmente sido transmitido de um animal para um ser humano.

A Susana ouve nas notícias que pessoas da sua cidade tiveram testes positivos para este coronavírus. Os especialistas de Saúde falam numa
transmissão comunitária”.

Transmissão comunitária significa que pessoas numa certa área ficaram doentes com o vírus, mas que algumas não sabem como é que isso aconteceu. Significa que o vírus está a transmitir-se de pessoa a pessoa.

Se há transmissão comunitária na tua área limita as visitas a lugares públicos e com muita gente. Evita apertos de mão e evita estar perto de doentes. A isto chama-se “distanciamento social“.

Então e as máscaras?
Alguns tipos especiais de máscaras, quando usadas de forma correta, podem proteger profissionais médicos e de enfermagem na tua comunidade. Podem também controlar a tosse e os espirros de pessoas infectadas.

Mas se você é saudável, não precisa de uma máscara facial. Eles não impedem a entrada de partículas de vírus. Você pode ter o COVID-19 sem sintomas, portanto, usar uma máscara para cobrir a tosse pode proteger outras pessoas. Lave as mãos antes de colocar ou ajustar uma máscara.

Adoecer é mais perigoso para pessoas com problemas de coração, pulmões ou rins. As pessoas nestas condições e as pessoas com mais de 65 anos de idade devem tentar ficar em casa, longe de quem esteja infectado.

E se, mesmo depois de todas as precauções, ficares doente? Se não tiveres uma situação de saúde crónica deverás ficar doente sem gravidade. Continua para saber mais.

A filha da Susana, a Maria, começou a sentir-se mal e tem a temperatura ligeiramente mais alta. Os sintomas do coronavírus são a febre, a tosse, dores no corpo, perda de fôlego e, às vezes, dor de cabeça, dor de garganta ou diarreia.

A Maria decide auto-isolar-se. Fica em casa e não vai à escola. Isto protege os outros, caso ela tenha o vírus. Quando a avó vem lá a casa, a Maria fica no quarto.

Quando a tosse da Maria aumenta, usa um lenço de papel ou o cotovelo. As pessoas doentes devem usar uma máscara se tiverem que saír de casa.

A tosse e a febre da Maria sugerem a presença do coronavírus. A Susana telefona à médica de família.

Como os sintomas da Maria não são graves a médica diz-lhe para ficar em casa. Pode tomar xarope para a tosse. O uso correto de luvas e máscaras pode proteger a Susana.

Sintomas severos, como dificuldade em respirar, dor forte no peito, tremores e transpiração podem sugerir pneumonia. Alguém com estes sintomas deve contactar ou visitar um serviço de urgência.

A família limpa muito bem a casa. Produtos de limpeza indicados para matar o vírus da gripe devem funcionar de forma idêntica com o coronavírus.

O filho da Susana tem medo que alguém leve a irmã para uma “quarentena”. Mas se ficar em casa duas semanas a Maria já protege os outros enquanto está doente.

Porque a filha está doente a Susana não deixa o filho ir à escola. Não quer que ele possa deixar outras famílias doentes.

É muito pouco provável que morras se ficares doente. As crianças ficam menos doentes do que os adultos. As pessoas que correm mais risco de vida são as que têm mais de 80 anos de idade.

Se tens sintomas do coronavírus fica em casa, usa uma máscara e tenta estar distante dos outros. Se tiveres dificuldades em respirar, suores frios, dor aguda no peito ou sonolência, precisas de ajuda de emergência.

Semanas depois, Susan ouve das autoridades do governo que as pessoas em sua cidade devem ficar em casa, a menos que trabalhem “essencial”, ou que precisem cuidar.

Bill vai trabalhar para tratar pacientes, mas o resto da família fica em casa. Susan verifica um serviço de entrega de supermercado. Seus filhos usam o bate-papo por vídeo para conversar com os amigos e a avó. Bill diz que seus amigos podem estar doentes sem saber.

Não há vacinas ou curas para o coronavírus. Os cientistas estão a trabalhar em possíveis vacinas e medicamentos mas o processo pode demorar meses ou anos.

Sumário

Ter boa informação é o primeiro passo para estar em segurança.

Protege-te a ti e aos outros com higiene apropriada e mantendo distância de pessoas infectadas.

Mantém-te a par das informações divulgadas pelas autoridades de saúde por forma a saber de novos surtos.
Feedback opcional

O que você achou deste curso?

Revisto por
Tara C. Smith, PhD.

Dr. Smith is a Professor of Epidemiology at Kent State. Her research focuses on zoonotic infections transferred between animals and humans.

Revisto por
Ian Mackay, PhD.

Dr. Mackay works in public health virology. He detects and characterizes viruses that are a threat to the public.

Revisto por
Harrison Kalodimos, MD.

Dr. Kalodimos is a family doctor practicing primary care in Seattle, Washington.


Língua
Compartilhar
Fontes
Saber mais
A Lifeology tem por missão tornar a aprendizagem da ciência divertida, visual e ultra acessível através de mini-cursos ilustrados, revistos ​​por cientistas.

Lifeology é uma plataforma, um serviço e um espaço de construção de comunidade para a comunicação em Ciência e Saúde. Ganhe distintivos e recompensas por participar em cursos, reflexões e testes pós-curso.